domingo, 25 de junho de 2017

Envenenou-me 


Feito um bicho peçonhento
veio o destino nos unir
picou minha pele
e no sangue o veneno passou a fluir

Sob o controle dessa peçonha
transformando tudo em matéria
as curvas eram o perigo
os olhos adormecidos
acreditavam ser de verdade.

Tudo longe, nada perto
tudo perto e ao mesmo
tempo longe.

Envenenou-me e não percebi
essa relação entra e a presa
e o escorpião.

Sujou-me do pior veneno
paralisou-me da forma
mais bestial.

Agora estou envenenado
em quase todas cavidades de mi'Alma
não tem mais predador
agora sou apenas a presa
desesperada tentando se livrar de veneno
que está contido em mim.

Veneno que trocou meus olhos
a forma que vejo as coisas
sujou minha primeira impressão.
Mas ó, confesso que já estava
antes um pouco envenenado,
mas esse predador, estraçalhou
o resto de mim que havia.

(Não é sobre você, escorpião)


Uriel Cordeiro

terça-feira, 20 de junho de 2017

Embriaguei-me no dia do juízo final
Tomei suas palavras para meus olhos
Desfiz-me do passado por inteiro
Deus dará aval aos nossos corações.

Deixei na garrafa vazia a nossa história
O último gole do vinho foi a cura
O trago final esfumaçou diante de mim
Todas pontes que ligavam as duas ilhas

O cinzeiro representava bem o destino
Que tomou a vida nos últimos dias
Lá fora tão frio quanto fui
A lua tão intensa quanto fostes

Não contrastavam os sinais
O copo vazio estava cheio
De algum sentimento que ficou
Na fumaça do último cigarro

Embriaguei-me e te esqueci
Dormi sem perceber
Na manhã seguinte
Tudo estava igual
Menos por dentro.

Ficamos no cinzeiro e na garrafa vazia.

E eu na cama pensando.

Uriel Cordeiro

domingo, 18 de junho de 2017

O último raio de sol 


O último raio de sol
na onda que quebra
na beira do oceano
de frente dos olhos

A última onda iluminada
os raios de sol entubando
entre as paredes do buraco
que é a vida, o tubo sem fim

O último raio de sol
deixa para trás tudo
todos os momentos
aqueles mais difíceis
no cume da montanha
o último raio de sol
se despede...

E minha vida, no fim
fez como o último raio de sol
iluminou a última onda
do meu oceano

Me deu a certeza de que amanhã
será sempre aquela chance
amanhã será sempre a nova possibilidade
de encontrar num turbilhão
a corrente que te leve pra fora

A última onda iluminada
será o seu caminho de fé
será a verdade que rege
as forças do meu coração
feito balanço do mar
com sabor de oceano
que às vezes pelo
meus olhos escorre

Quando ao fim do dia
assisto o último raio de sol que iluminou todo o oceano.


Uriel Cordeiro

sábado, 17 de junho de 2017

Para trás


Eu olho para trás
não vejo nada se não
tudo aquilo que hoje me faz
que preenche meu coração

Para trás eu vou deixando
o velho sentimento que marcou
vou deixando, para ir aos poucos colocando
algo novo que a vida iniciou

Lá trás, antes do atrás
mais atrás que para trás
Lá no fim
que seria o começo

é pra onde a vida volta quando chega
lá na frente, depois de todos futuros.

Para trás de tudo está a vida
o outro mundo do qual viemos
mas nunca se para essa ida
por isso aqui por um tempo estaremos

Mas, sim... Vai ficando para trás
como a pipa que se soltou da linha
e vai indo, vai indo nas correntes
de vento, até que chega sua hora.

Tudo, enfim, um dia fica para trás
inclusive você.
inclusive eu.


uriel

domingo, 21 de maio de 2017

Com a Alma

Calma!!!!

É com ela que se tem
Alma
Da Calma.

A Alma esconde a Calma
que precisa.
Com a Alma
se tem a Calma.

Calma Alma, a chuva passa,
o dia acaba, as estrelas não se vão.

O grito da Alma, traz por trás
do som o tom mais sutil da Calma.

Com a Calma
A Alma.


Uriel Cordeiro


Que trabalho incrível dessa moça. Henrietta Harris.

http://henriettaharris.com/

sábado, 20 de maio de 2017

Passado


Passou
passando
passou
passado
o passado
passageiro

de passagem
o passado
se fez presente

passado
passa
na mente
passando
lentamente
a dor
do futuro
que tinha
em mente

presente
sinto o
passado
passar
para frente
a ausência
daquilo
que se sente

que ficou
no passado-presente.


Uriel Cordeiro